18 de ago de 2014

O amor de Cristo nos uniu?


Não consigo entender o motivo de tanto ódio.

O cidadão em questão, o da postagem na foto ao lado, é um pastor. Pastor de igreja evangélica. Mas essa espuma na boca, que escorre livre quando pensam em Lula, em Dilma, ou em qualquer membro do Governo do PT, não se restringe a apenas os evangélicos.

Muitos amiguinhos, dotados de dons do espirito santo, da tal RCC - Renovação Carismática Católica, e de outras 'facções' católicas, também exibem, em adesivos de carro, camisas, muros de casas, 'santinhos' apócrifos e, agora, nos 'posts' do facebook, instagram, twitter e correntes no whatsapp, seu ódio eterno, aprendido nas entrelinhas da bíblia cuja qual ainda não tive acesso, .

No geral, esses adeptos da repulsa alheia são pessoas de vida boa, classe média, branquinhos, bonitinhos, cujos filhos estuda(ra)m em universidades federais, alguns até passaram para cursos mais concorridos a partir do sistema de cotas, já que, no ensino médio, estudaram com bolsas ou vieram de escolas, também, federais. São pessoas que recorrem ao BNDES quando suas empresas estão em crise, e, depois, simplesmente esquecem de suas dívidas, ou pedem perdão delas. Ou são homens e mulheres adultos, e até mesmo jovens, funcionários públicos, que, depois de conseguirem o 'seu lugar ao sol', temem ter o esse seu lugar ameaçado por outros que, por ventura, possam ingressar nos seus setores.

Não consigo compreender tanta malquerença, principalmente quando do lado das palavras de apatia está uma mensagem de amor ao próximo. O amor pregado por um Deus que é as vezes conveniente, as vezes impertinente.