10 de set de 2010

A contradição imposta pelo corolenismo de um partido

O processo eleitoral continua caminhando. Sem muitos atrativos, mas continua. E, baixada a poeira da raiva e do “não-entendo!” pela coligação estúpida do PSB com o DEMO e os tucanos, agora os ricardistas e funcionários da prefeitura de João Pessoa começam a pedir voto para o ex-patrão.

A justificativa mais plausível que se ouviu até o momento talvez tenha sido a de que o “Mago” vai trabalhar pela Paraíba da mesma forma que trabalhou pela capital. Mas isso por sí só não abona a responsabilidade do ex-prefeito neste pleito. Vejamos:

Ninguém é menino o suficiente, tanto quanto RC acredita, para não saber que não se governa sozinho. As alianças no pré-eleição é que vão determinar os primeiros anos do mandato, muito embora no breve histórico do candidato laranja se veja apontações de malabarismo, encostando os aliados numa sala reservada à espera e trazendo para os cargos mais privilegiados os até então inimigos políticos.

Agora, onde está a contradição? Recentemente, a juventude do PSB, partido de Ricardo Coutinho, exorcisou os DEMOcratas do Diretório Central dos Estudantes da UFPB. Eles, e a composição da atual gestão, obviamente não formada apenas pela JSB (Juventude do PSB), denunciam desvio de verbas das carteiras de estudante, num montante que chegaria aos R$ 170 mil. Esses antigos gestores, que se autodefiniram como Democratas, hoje são aliados do presidente do PSB, candidato ao governo do Estado. Então, pensemos: numa possível eleição do PSB, o DEM, assim como o PSDB e os outros partidos aliados, irão pleitear cargos de secretaria no Governo Estadual (evidente). E imaginemos mais hipoteticamente que o ex-presidente do DCE cobre a Secretaria de Juventude! Contradição? Talvez! Mas, vamos mais longe. RC grita aos quatro cantos que seu governo estará sintonizado com o governo Dilma e com o presidente Lula. E todos sabemos o quanto o nome de Ricardo pesa para eleger os seus aliados do PSDB e do DEM na câmara dos deputados e, com menos peso, mas com o mesmo empenho, no senado. Não são estes os dois maiores entraves do governo Lula? Que aliado Dilma e Lula têm por estas bandas? Aliado da onça. Será?

O que foi imposto ao PSB da Paraíba, aos “militantes” do partido do principal personagem político da capital, e a uma massa de girassóis reluzentes que deram vida à gestão da estrela Ricardo não foi apenas a humilhação de ter que gritar nomes de adversários recentes, camuflados de aliados históricos, nos comícios, carreatas e ações de campanha. Foi a certeza de que nada mais será como antes. Nem a gestão, nem o carisma, nem a confiança.

Com colaboração de David Soares (blog Democratico e Popular)
Foto retirada do portal
Patos em Notícia

20 comentários:

Erick de Almeida disse...

Ou coisa linda! PTista criticando alianças!

Flávio disse...

Ótimo post, George. Não tenho nada a acrescentar. Infelizmente esse é o retrato da política paraibana.

Sonhos Crônicos disse...

Por isso que eu digo, vote em Lurdes Sarmento, 29.
Pode falar o que for, bicho, mas ela é a única candidatura que não se passa por este tipo de "suruba política".
Até mesmo em questões mais particulares, o PCO não fecha os olhos para esses problemas de aliança que comprometem inclusive a própria credibilidade em um programa de luta. Vide a nova gestão do DCE. Um mói de partido de esquerda que praticamente deu um golpe para assumir a gestão, expulsando os democratas - ou seja, utilizando a mesma prática da direita - e que agora vai ter que fazer aliança com eles para eleger o "mago".
São essas questões da esquizofrenia política desses partidos mal dirigidos - sinalizam pra esquerda e viram para a direita - que fazem com que a população se confunda e não acredite em uma proposta de luta e transformação social.

Erick de Almeida disse...

E o caso lá do Maranhão ein? Onde o PT passou por cima de uma decisão do diretorio estadual para apoiar Roseana?
Domingos Dutra até grave de fome fez!
Né coronelismo tb não? Ou só Ricardo é Coronel?

E Zé Maranhão é oq? kkkk
Eita george, tu anda mais pragmático do que nunca ein? A tua incoerência não é menor que a minha, que voto em Ricardo! Pelo contrário, é bem pior, vai lutar para manter mais 4 anos no poder uma oligarquia que já faz 10 que não larga o osso. Ah mais você é PTista, e lá no maranhão vcs vão manter os Sarney por mais 4, depois de 20 anos no poder!

Luiz Couto é o único cabra macho dentro do PT da Paraíba... Que sabe reconhcer a boa gestão que ricardo fez!
Ei george, tu so faz críticas a Ricardo? Maranhão agora é santo? Ah! ja sei, Rodrigo Soares vai mudar o perfil de Maranhão! De perseguidor, que acha que é dono do estado.
gostaria de ouvir criticas administrativas a gestão de Ricardo!

beijos!

George Martins disse...

NObre Michel (sonhos crônicos), obviamente que não vou rebater seu comentário neste assunto por motivos obvios: eu acredito que haja coerencia nas alianças do PCO, muito embora também acredite que nao caiba rebatimento até pelo pefil do PCO. não é um partido eleitoreiro.
Faço críticas ao PT (vide posts anteriores), qdo eskeceu a juventude e se calcou apenas na agenda eleital e, no caso da Paraíba, no profissionalismo político. Mas isso agora é fato para o PT, então, neste caso são metodologias diferentes e para fins diferentes (isso é uma posição pessoal de alguem q está afastado das discussoes internas do PT, não representa a posição do partido, de uma tendencia ou de um grupo.)

qto a vc, meu caro Erick. Em nenhum momento manifestei agrado pela posição do PT em relação a aproximação à Maranhão, muito embora reconheça q, em termos de composição eleitoral e de mandato, é o PT quem está mais aproximado do correto.

Não faço críticas à Maranhão pq em nenhum momento concordei com suas políticas no passado, embora quero acreditar que (já disse, dada a composição atual, a contextualidade da história no tempo de agora, ele seja a melhor opção). Não vou fazer defesa de Maranhão pq não tenho bagagem pra isso nem fui determinado. Mas se lhe satisfaz conhecer pra quem vai o meu voto, acho q não resta dúvidas.

Porém, se me cabe um momento de advogado do homem, insisto em dizer, como dantes, que se amanhã Maranhão derrubasse todos q estão com ele e se coligasse ao grupo Cunha Lima, não teria o mesmo impacto na honra e na moral dos seus aliados pq ele nunca disse q isso seria impossível. A da disputa entre Cunha Lima e Maranhão orbita na guerra pela manutenção do status e richas pessoais. O universo entre RC e CCL era a guerra ideologica, q passava, principalmente, pela coerência, pela ética e pela história. Ricardo nasceu deste contexto.
Maranhão se aliar a Cássio é uma coisa que pode acontecer e q se acontecer será natural para ambos. Ricardo se aliar com Maranhão há 7 anos já foi desastroso. ele sequer reconheceu o erro, bate no adversário com as armas q ele condenou durante 6 anos.

Mas como você deve estar no céu com a aproximaçao de RC a um Cunha Lima, acho q estou jogando palavras ao vento!

Sonhos Crônicos disse...

eu acredito que haja coerencia nas alianças do PCO, muito embora também acredite que nao caiba rebatimento até pelo pefil do PCO. "não é um partido eleitoreiro".

Cara... esse teu comentário, George, é extrema importância para compreensão do movimento político. Ambos, Ricardo e Maranhão são farinhas do mesmo saco. Não adianta dizer que vota no "menos ruim" ou que "vota naquele que vai ganhar".

Todos eles fazem artimanhas para se manter no poder. Não adianta criticar as táticas de cada um. Elas são tocadas, trocadas e compartilhadas feito aquela brincadeira de "escravos de jó".

Ricardo faz crítica a Maranhão, mesmo tendo concordado com a política dele durante anos. Maranhão desce o pau em Ricardo por ter se aliado à Cássio - pessoa detonada pelos dois primeiros - e todos se estapeiam da forma mais suja possível para entrar no poder e fazer o que sempre fizeram, mesmo utilizando uma maquiagem pra esconder a roubalheira pessoal. E ainda vem aquela desculpa de que "ah, ele rouba mas faz". Como se fazer algo fosse um FAVOR, não uma OBRIGAÇÃO.

nesse ínterim vc vê a farsa que é essa eleição democrática do voto obrigatório. vê o problema das falácias programáticas de cada um, prometendo castelos em nuvens, enchendo a mente - e a barriga - de milhões de eleitores com ilusão. No dia que sonhar matar a fome...

"Meu nome é tumulto, e escreve-se na pedra."
Drummond


Michel Costa

David Soares disse...

Um bom texto que causou um excelente debate. Vou tentar participar.

Bem, conceitualmente, não está em pauta o poder (que apresenta-se em diversas esferas,econômica sobretudo), que no capitalismo está nas mão da burguesia. Precisa ficar claro que o que está em pauta é o governo de parte do Estado capitalista. Apenas parte, porque o judiciário é uma casta e os legislativos (locais e nacionais) são proporcionais.

Todavia, não há contradição em um revolucionário participar desse processo. Em Gramsci, pode fazer parte da disputa por hegemonia e para o PCO serve para propaganda política. Quem prestar bem atenção no guia do PCO verá uma boa plataforma revolucionária que parte de questão concretas da vida da classe trabalhadora. Opino de que é um método, em nosso atual contexto de lutas de classes, pouco producente...teria mais relevânica política em situações de crises agudas do modelo econômico com ascensão da organização das massas.

Uma vez decidindo acatar as "regras do jogo", não há problema em fazer alianças, assunto sempre em voga dentro da esquerda. Uma parte defende alianças com setores de esquerda ou no máximo progressistas, outros (majoritários no PT e em toda a esquerda mundial) acham que é possível fazer alianças fora da esquerda, mas não perdendo a identidade de esquerda ou os "princípios" e outros são contra alianças, mesmo dentro da esquerda - é o caso do PCO nas eleições gerais, acham que não devem se "misturar".

IMPORTANTE FRISAR: Ricardo Coutinho diz que sua aliança se parece com o que Lula fez com José de Alencar. Apenas tenta confundir. A aliança do PT com o PL (à época) era da classe trabalhadora (majoritariamente moderada, repito) com setores do capital produtivo. A aliança de RC é com o PSDB (defensor do capital especulativo) e DEM, herdeiro da UDN-ARENA-PDS-PFL, ou seja, o setor social contrário às mudanças e a favor de retrocessos, vulgarmente chamado de direita.

O tema das alianças é sim controverso dentro da esquerda, mas isso não se refere mais ao Ricardo Coutinho, que saiu da esquerda. Saiu da esquerda quando se tornou a salvação de setores mais conservadores da política local, quando, sobretudo, se mostrou disposto a abandonar a sua história (que é construida com esforços coletivos) para chegar a todo custo ao governo local. Dos de sua chapa, votam em Serra e tudo bem que Serra seja eleito, se ele for governador.

Podemos ser contra ou a favor de projetos políticos, mas não há nenhuma nas alianças de RC, há, sem dúvida, projetos pessoais. A possível vitória de RC confirmará a idéia transmitida pela burguesia de que político é tudo igual e só pensam em si, que no final são todos farinha do mesmo saco.

Pode alguém pensar: se político é tudo igual, como pode prova o caso RC, por que não defender uma ditadura militar, sem "políticos". O que RC faz é um desserviço à esquerda, seu antigo lugar.

Todavia, se queremos falar de revolução social sem levar em conta a particularidade e peso que têm as eleições no Brasil, a conversa muda de rumo.

David Soares disse...

Erick Almeida,

Sua crítica ao caso do Maranhão é extremame pertinente. Basta dizer que 80% dos petistas do Maranhão votam e fazem campanha para Flávio Dino do PCdoB.

Grosso modo, temos atualmente o neoliberalismo que quer voltar contra o neodesenvolvimentismo, assim chamado porque congrega a pauta da antiga CEPAL de intervenção do Estado na economia com a ampliação das políticas sociais. A alternativa à Dilma não é Zé Maria, Ruy Costa, Plínio ou Marina, sim o Serra. A volta do Serra seria fim de concursos públicos, fim de financiamento da casa própria, política externa subalterna, volta da criminalização dos movimentos sociais, etc. O que a esquerda que apoia a Dilma, dentro e fora do PT, afirma, é que cabe atrelar esse neodesenvolvimentismo ao campo democrático e popular, porque a volta dos neoliberais só será sentido pela classe trabahadora. O PSB faz parte desse bloco, quem saiu dele foi o PSB-PB e são eles que devem explicações.

Quanto ao PMDB. O cientista política Sergo Abranches cunhou o termo presidencialismo de coalização para explicar o caso do Brasil. Temos um presidencialismo com características parlamentaristas, ou seja, sem maioria o chefe de governo não consegue governar. Esse defeito gera situações como a do Maranhão. Enfatizo: não justifica, mas permite compreender.

O PMDB é outra peculiaridade do nosso sistema político. É na verdade uma frente de partidos regionais. Um mais à direita outros à esquerda. O governo do Roberto Requião na Paraná, por exemplo, reestatizou a COPEL - empresa de energia elétrica daquele Estado e está mais à esquerda que muitos governo do PT,PCdoB ou PSB. Para não ficar refém da falta da governabilidade, busca-se essas alianças, muitas vezes estapafúrdias. Pessoalmente, creio ser um movimento equivocado. A verdadeira aliança do bloco democrático e popular deve ser com os movimentos sociais. Trocou-se seis por meia duzia: de início o governo ficou refém dos pequenos e famintos partidos e agora poderá ficar refém do enorme e faminto PMDB.

Quanto ao caso da Paraíba: enquanto o PSB aponta para um projeto local, o PT tem um projeto nacional: o terceiro mandato com Dilma. Enquanto RC fortaleceu o PSDB/DEM, o PMDB local, desde 2002, fortalece o projeto nacional neodesenvolvimentista. Não foi só o PT que agiu assim, o PCdoB, em nome do mesmo projeto nacional, deixou RC e se coligou ao PMDB. E numa boa, antes ser vice do PMDB do que ser cabo eleitoral de RC.

O caso Luiz Couto é simples: o PT tomou uma decisão e ele desrespeita e faz oposição próprio partido. Diferente do PSB-PB no qual Ricardo é o único que manda, no PT é possível divergências, porém se Luiz Couto quer mesmo ser coerente deve ou fazer auto-crítica ou deixar o PT. Caso contrário, é a mesma lógica individual de todo ex-esquerdista: "regras do partido são boas e eu cumpro, mas apenas quando eu sou maioria ou defende os meus interesses"

Erick de Almeida disse...

Cara, vocês encontram justificativas para todas as incoerência do PT... Então vale tudo para eleger Dilma! beleza!

O engraçado é que o PSB da Paraiba não pode fazer o mesmo... Não existe meia incoerência! Ou o partido é coerente ou não é! O PT assim como Ricardo são incoerentes do ponto de vista das alianças... Ou vc acha que LULA acha que Roseana é a solução pro Maranhão? Ideologicamente eles são bem parecidos também ein?

Galera, nessa eleições vote na melhor experiência administrativa que a paraiba ja teve.

George não pode dizer que sou Cassista ein? eu não sou! Agora o homem tem voto, e se ele quer apoiar o modelo de gestão de ricardo, o que fazer? esnobar votos? De forma alguma! Maranhão ta comprando votos com o diario oficial... Isso é muito mais grave!

George Martins disse...

"George não pode dizer que sou Cassista ein? eu não sou! Agora o homem tem voto, e se ele quer apoiar o modelo de gestão de ricardo, o que fazer? esnobar votos? De forma alguma!"

Até onde eu sei quem foi pedir arrego à Cassio foi RC e não o contrário. Cassio não apoia modelo administrativo de ninguém. RC trocou a coerencia e a história política dele por 2 pontos percentuais a mais na região de Campina. Isso é fato!

David Soares disse...

Prezado Erick, como diria o estripador, vamos por partes.

1 - Não houve "arrumação de justificativas" para explicar a política de alianças do PT. Pelo o que entendi, tanto eu como você apresentamos críticas a esta política de alianças, porém, estando de lugares diferentes no discurso. Enfim, apresentei argumentos quase todos com algum nível de detalhamento e você, ao invés de contra-argmentar, resumiu tudo à "arrumar justificativas". Não acho que a política seja uma ciência exata, logo, sua complexidade exige debate com algum aprofundamento.

2 - O caso do PSB da Paraíba destoa do PSB em todo o Brasil. Então, antes de fazer uma comparação do PSB Paraíba com o PT, no Brasil todo, é o caso de comparar RC com a política de seu próprio partido. Essas contadrições passam a ser de economia interna do PSB, portanto.

3 - Que modelo de gestão que você se refere? O que RC fez foi um ctrl c + ctrl v mal feito do modo petista de governar. Mas, vamos para alguns dados: Empreender, baseado na política de micro-crédito do Recife, orçamento democrático foi uma trágica tentativa de esse aparentar com o orçamento participativo.

4 - Mais dados: qual é a política social de RC? Nenhuma! Contrução de casa 85% financiada pelo gov. Lula. Alargamento da Pedro II, Estação Ciência, alças da Beira-Rio, obras de infra-estrutura, também financiadas com pelo gov. Lula.

5 - Não parou por aí: Integração, financiada 100% pelos empresários. Aliás, quando RC assumiu a passagem era 1,10 e hoje 1,90. Diferente de Fortaleza, onde o preço da passagem se manteva estável. Pergunte aos empresários do setor o que pensam de RC. Outra: agora o poder aumenta o valor das passagem em janeiro, nas férias escolares, nem Cícero fez isso.

6 - A merenda escolar que antes aquecia a economia das comunidades, é terceirizada com a SP Alimentações e enm professor participa mais da merenda.

7 - o PSF que como lógica aproximar o serviço da população, é agora a concentração de 4 PSF em um, causando para gestantes e idosos um enorme incômodo.

8 - no governo Lula, 75% dos prefeitos que disputaram reeleição tiveram êxito pegando onda nos investimentos do governo federal. Em João Pessoa, teve o efeito comparativo com a gestão do PDSB, que agora RC defente, e em comparação com os 8 anos de Cícero, de fato Ricardo é cosmeticamente melhor.

Disto isto, pondero algumas de suas afirmações e nem quero comentar como está trabalhando a máquina da PMJP nessas eleições porque precisaria documentar as minhas afirmações e agora esse é um esforço que não quero fazer. Mas, o professor Barreto tem dados e documentos disposição.

As minhas fraternas saudações!
Vote para presidente em quem RC afirma votar! E para senador e edputado federal, não vote em quem fará oposição a quem RC afirma votar! :)

Erick de Almeida disse...

Entendo todas as críticas ao governo RC. Eu também tenho críticas... Mas foi a melhor administração que a Paraíba já viu!

Eu simplesmente acho que Ricardo é a melhor alternativa.

E george, você está errado, o movimento de adesão partiu de Cássio Cunha Lima e de vários prefeitos e deputados do PSDB! Não foi Ricardo que ligou pra Cássio e pediu que pelo amor de Deus se aliasse com ele! Isso não tem sentido...

Maranhão já mostrou a consideração que tem pelo PT. Luciano Cartaxo que o diga... Vamos ver mais uma vez o PT ser escanteado, pq o dono da bola, caso eleito, será Maranhão!

David! Interessante a sua análise sobre o governo RIcardo em JP. Qual seria seu análise dos 10 anos do Governo Maranhão? Qual foi a melhor experiência administrativa que você ja viu na Paraiba? Governo Maranhão I II III, ou Ricardo I II...

Só outra coisa David... Na primeira eleição de Roseana ela era DEM...25, "herdeiro da UDN-ARENA-PDS-PFL, ou seja, o setor social contrário às mudanças e a favor de retrocessos, vulgarmente chamado de direita." E LULA PEDIU VOTOS PARA ELA! Por favor este tipo de coisa existe no pais todo! E nosso maior MESTRE, o nosso GURU da política brasileita, o LULA LÁ já cansou de fazer isso por ai!

O PT já não mais um partido puro... LULA já não é mais o mestre da Coerência. Assim, como vocês irão fazer na esfera federal, votem na melhor experiência administrativa em questão! Acredito que esse é o único critério válido hoje em dia, pq já não existe mais partidos, os políticos apenas os usam para ter um número na urna eletrônica!


abraço a todos

Erick de Almeida disse...

http://www.youtube.com/watch?v=LVwpDhEtz1Y&feature=player_embedded#!

Vejam ai o exemplo que o PT dá... Eu ainda vou ver PT e PSDB juntos, Lá em Minas já existe algo por debaixo dos panos.

George eu te conheço, teu lugar num é mais no PT, esse partido não representa mais a luta da esquerda do País.

Erick de Almeida disse...

Outra de Lula e o PT...

Lula pede ao eleitor do Amapá que vote em Waldez Góes (PDT). Ex-governador, ele integra o grupo político de José Sarney. Concorre ao Senado.

O problema é que os candidatos de Lula lá no AMAPA, Waldez Góes e Pedro Paulo, acabaram de ser presos pela policia federal. vejam Lula pedindo voto para Waldez!

http://www.youtube.com/watch?v=k4WoWQW1GTI&feature=player_embedded

É galera, se Cássio e Efraim estivesse com DIlMA, estava tudo resolvido!

David Soares disse...

Ok, Erick. Farei a minha breve análise sobre os governo de José Maranhão.

Como sabemos, assumiu o governo do em 1994 com a morte de Antônio Mariz, antes que fizesse um ano de governo. Herda, com isso, grande parte da tradição política de Mariz - que tinha defendido voto em Lula em 1994. Mariz era um político que não existe mais na PB, era um progressista ideológico.

José Maranhão traz para o seu governo o PFL. Efraim Morais passou os 8 anos de governo Maranhão (I e II) na base aliada, rompendo apenas em 2002, indo para Cássio.

Em 1998, Ronaldo Cunha Lima quueria disputar o governo do Estado pelo PMDB. Estando no cargo, Maranhão não abriu mão da reeleição (novidade criada por FHC, que mudou as regras do jogo em benefício próprio) e assim ganhou a "inimizade" dos Cunha Lima. Naquele ano os Cunha Lima votaram em Gilvan Freire, que estava no PSB, apoiado pelo PT.

O fato é que no início de seu mandado, Maranhão comprou a agenda política de FHC sim. Privatizou e teve postura análoga ao presidente neoliberal com os movimentos sociais. Poderia ter agido diferentee sim.

É fato também que Maranhão rompe com FHC no final do mandato (2001-2002)e apoia Lula, no momento em que Lula estava em empate técnico com o então ascende Ciro Gomes e por isso a PB parou de receber recursos federais.

Sem entrar no mérito na questão, Maranhão que é oriundo do velho trabalhismo de Goulart, sai do espectro progressista e dá uma guinada de volta no início da década presente.

Como analista político isento como você qualificaria um candidato que recebe apoio do PT e PCdoB e outro que recebe apoio do PSDB e DEM?

Então, o governo Maranhão III e possivelmente IV é bem diferente dos dois primeiros. O diferencial é justamente um elemento central de análise: a composição da base de apoio, que definirá a agenda do governo.

Para ter êxito, agora e no futuro IV mandato, Maranhão precisar continuar à sua guinada ao campo progressista, porque com isso isolará RC à direita, poderá aumentar a tensão na base eleitoral de RC e finalmente, diferenciar-se qualitativamente do campo PSDB/DEM, seus verdadeiros adversários. O PT tem então papel decisivo na disputa da agenda do governo.

Governar o Estado é bem mais complexo que um município. Enquanto um prefeito sem maioria no legislativo sofre quase nada comparado a um governador no mesmo caso. Vide o primeiro mandato de RC. Por isso, embora a experiência de RC na PMJP tenha pontos êxitosos, não podemos achar que terá a mesma facilidade em governar com uma agenda progressista com a base que montou.

Dito isto, tomo a seguinte posição:
I - Estando de acordo com o projeto nacional e para continuar derrotando o grupo PSDb/DEM, defendo voto no PMDB;
II - Independente das eleições, que são apenas um momento, defendo que os movimentos sociais avance em suas reivindicações, criando novas lideranças, novas práticas políticas, pautando na sociedade paraibana novas demandas políticas e sociais e assumam um papel protagonista. É isto que fará toda a diferença.

Uma excelente semana para todos nós!

David Soares disse...

Comentário publicado sem revisão. Desculpem os pequenos erros.

Erick de Almeida disse...

"o governo Maranhão III e possivelmente IV é bem diferente dos dois primeiros. O diferencial é justamente um elemento central de análise: a composição da base de apoio, que definirá a agenda do governo."

Bem, eu parei ai! Quer dizer que PT e PC do B definirão a agenda do governo Maranhão IV? David, deixa de brincadeira rapaz... Maranhão quase não contempla o PT com a vice. A sorte foi que veneziano resolveu ficar na prefeitura...

Amigo, quem governa é o governador... E quem partipa do governo é quem tem maior base na assembléia, e o PT hoje tem dois... nessa próxima legislatura se fizer um deputado estadual é muito. E o pc do b coitado... Portanto nenhum dos dois partidos vão ter voz ativa. Espera pra ver!

Esqueceram de avisar a base de apóio lá do amapá, maranhão a alagoas que fossem mais ativos... Você militantes do PT da paraiba poderiam dar umas oficinas sobre como catequizar um velho oligarca.

Não sou analista político, e não sou isento. Minha posição é clara e definida... Sou Ricardo Coutinho 40.

David Soares disse...

Erick,

Tudo bem que não escrevo tão bem, mas você poderia ler tudo o que escrevi para poder replicar. Eu disse exatamente isso: " O PT tem então papel decisivo na disputa da agenda do governo". Ter um papel decisivo na disputa da agenda é a mesma coisa que definir a agenda? Até o reino mineral sabe que não.

Quanto à composição da majoriatária. É verdade que Maranhão queria Veneziano na vice e que Luiz Couto Senador. Mas, por que será que teve que engolir o PT na vice? Por que será que o PT que não serviu para ser vice de RC em 2004 numa cidade, serviria para ser vice de RC no Estado em 2010? Sim, porque RC disputou o PT e perdeu.

A resposta é simples: além, de ter o segundo maior tempo de TV tem um cabo eleitoral que tem 92% de aprovação na PB, Lula. Além do mais, para o PMDB, a presença do PT e do PCdoB tem o óbivo efeito de garantir ao governo Maranhão um verniz mais de esquerda já que Ricardo foi para a direita.

Sim, quem governa é o governador. Mas, a assembléia tem muito mais poder que a Câmara Municipal. Enquanto o município tem apenas dois poderes, no Estado tem indicação de conselheiro de TCE que é feita pela assembléia, tem as relaações políticas-institucionais com o judiciários e MPE e PRINCIPALMENTE a composição do governo. O PFL/DEM esteve apoiando quem estivesse os dois primeiros governos Maranhão e os dois governos de Cássio Cunha Lima, mas tinha em troca a Sec. de Saúde, segundo maior orçamento do executivo.

Em João Pessoa, RC controlava até quem era contratada como merendeira numa escola e como governador é impossível fazer isso.

Que não haja isenção, mas ao entrar num debate, tenhamos menos fé e mais razão.

É um óbvio ululante que o atual governo Maranhão é diferente dos dois primeiros. Pergunte ao movimento de mulheres, pergunte ao movimento negro, ao movimento LGBT, mesmo com problemas, pergunte ao setor da educação. É diferente porque não tem um vice do PSDB como RC, sim um vice do PT, por exemplo.

Em tempo? o candidato que teve 74% dos votos em João Pessoa em 2008, perderá a eleição na mesma João Pessoa dois anos depois. Por que será? Porque traiu seu eleitorado, caiu no canto da sereia de Cássio e levará o império dos girassóis ao fim dos oito anos gloriosos.

George, publica logo outro texto.

George Martins disse...

"E george, você está errado, o movimento de adesão partiu de Cássio Cunha Lima e de vários prefeitos e deputados do PSDB! Não foi Ricardo que ligou pra Cássio e pediu que pelo amor de Deus se aliasse com ele! Isso não tem sentido..."

Caro Erick. acredito ter visto RC no guia quase que chorando se explicar por ter aderido aos Cunha lima: "meu povo, sem eles eu não tempo suficiente neste guia para conversar com vocês..." isso por si soh já indica d quem foi a inclinação. Não foi Cassio q foi atras de RC.
Sei que a grande mídia destorce as coisas, mas nesse caso isso é fato, nao é distorção.

Anônimo disse...

O fato é que nenhum presta e que os que apoiam Maranhão é porque possuem algum interesse, principalmente porque está chovendo dinheiro (dos empréstimos) nessas eleições. E o PT que apoia Maranhão é porque recebeu um cargo nem que seja a distancia, mas o que importa é a luta ou seja o emprego( ou seria apenas o salário?).