20 de set de 2010

Novas Tecnologias: das actas diurnas aos blogs

Segue mais um texto da época da universidade


Os meios de comunicação têm, a partir das novas tecnologias, a função de tornar o ‘inexável’ em um só, diminuir distâncias, reduzir custos, facilitar vidas, difundir idéias e ideais, derrubar barreiras, agregar povos, desmistificar ou obscurecer determinados pontos de vista.


A comunicação ensaia uma remodelagem. Não há mais o papel do emissor, canal e receptor. O emissor se torna necessariamente um receptor, assim como o receptor, sem se dá conta, se coloca no papel de emissor.


Tudo interfere na comunicação e, da mesma forma, a comunicação passa, com o advento dos novos tipos de mídia, do avançado das tecnologias, a ter papel preponderante no meio de vida de todos e de tudo: passa desde o formar opinião até a mudar comportamentos.


Platão traz a tona em “O mito da caverna” o questionamento de que o vime vive alienado por não estar em contato com a realidade e, sim, com as projeções de suas sombras. Assim como o cinema e a televisão, o que vemos é uma realidade mascarada ou deturpada, que mostra apenas o que se quer mostrar. O mundo real passa a ser desconhecido ou até mesmo rejeitado por ser mais fácil enxergar apenas as suas “sombras” ou imagens capturadas, como é o nosso caso.


Entende-se isso como alienação por não mostrar a real verdade e também por exibir excesso de faltas e fantasiosas informações.


Júlio Cesar pode ser visto como um “comunicólogo revolucionário”. Faço esta afirmação tendo em vista a sua iniciativa de relatar suas vitorias de forma peculiar, diferente de tudo que era feito na época. Ele, fugindo às regras, escrevia sobre o presente, à medida que os fatos ocorriam. Seus relatos tinham um teor documental e estilo próprio. Júlio Cesar foi o precursor da primeira pessoa enfática, uso da primeira pessoal do plural, mesmo que essa esteja se referindo a apenas uma pessoa.


Outro fato de grande importância foi a introdução da acta diurna, documento onde eram registrados o teor de todos os debates ocorridos no Senado romano. Elas eram registradas em papiro e colocadas nos muros do Senado, tornando-se pública, um meio de comunicação entre o Senado e os cidadãos. Depois ela passou a ser copiada e redistribuída para todo o Império.


Podemos encarar as actas como uma ancestral da notícia jornalística, pois ela continha todas as características desta (relato de acontecimento, fidelidade ao fato, periodicidade).


Trazendo para um estilo ainda mais recente, podemos dizer que ela se assemelha aos blogs. É fácil perceber a relação entre esses dois tipos de comunicação, só precisamos nos ater às suas características.


Como as características das actas já foram citadas acima, agora iremos definir as dos blogs. Os blogs são sites pessoais, em grande parte usados como diários. Neles os autores relatam o seu cotidiano, havendo uma periodicidade. Por estar exposto na rede mundial de computadores (internet) ele fica a disposição do público, todos tem acesso, e ficam sabendo tudo o que acontece na vida do dono do blog, mesmo que não o conheça. É uma espécie de reality show concedido. Porém, alguns são usados como um meio orientador e formador de opinião, e é esse tipo de blog que vem tomando conta da internet, tornando-se cada vez mais comuns, inclusive com autores já conhecidos do público, que utilizam essa “mídia” como um meio mais direto de comunicação com seus leitores/fãs.


É importante ressaltar que assim como as actas de Júlio Cesar, esse tipo de informação fica restrita a uma dada camada da população, pois nem todos tem, ainda, acesso a internet, assim como nem todos sabiam ler na época das actas.


Depois de definidas as características de ambos, não fica difícil perceber a relação, ela é clara. Cruzando-as, temos: a periodicidade, a exposição pública, o registro do cotidiano (no caso da acta, está o registro do cotidiano do Senado, o que nele era discutido), o público “restrito”, podem ser formadoras de opinião e pontos de orientação, e por fim, a atualidade, pois tratam de fatos do presente.


Os enciclopedistas reuniram a partir de vários autores, todo o conhecimento da Europa (mundo) numa única obra, detenção do conhecimento para a sua difusão à posteriori.


O iluminismo ajuda de certa forma, na disseminação dos escritos a partir da concepção de que deveria-se haver investimento na educação, principalmente de crianças, pois pensava-se que o desenvolvimento só era possível a partir da educação, enquanto que o desenvolvimento das tecnologias (novas descobertas) reduz custos.


Com a facilidade no acesso por parte do público e o aumento deste, começa-se a surgir literaturas dirigidas a determinados grupos (público alvo).


As novas tecnologias partem do mesmo princípio. A facilidade ao acesso e o número crescente do público, facilita a disseminação dos meios de comunicação e do produto.


Gostou do texto? Comente agora! Não gostou? Comente também!

Nenhum comentário: