23 de out de 2010

O tiro e a culatra

Desde que se iniciou a campanha no 2º turno para governador aqui, pela Paraíba, a iniciativa tomada pela campanha de José Serra para macular a imagem de Dilma Rousseff, ainda no 1º, o uso de mensagens via correio-eletrônico, vem sendo copiada tanto por “ricardistas” quanto por “maranhistas”. E eu me enquadro nisso.

De todos, do lado azul-laranja, percebe-se muito mais um misto de fé e amor, que até mesmo alguns cristãos mais fervorosos sentiriam inveja (se isso não fosse pecado, claro) do que razão.

E, no meio dessa fé irrefutável , que se funde à um “q” de arrogância, ironia e preconceito contra todos aqueles que não declaram voto à Ricardo, percebi algo curioso. Já é do conhecimento de todos que a baixaria também tomou conta das caixas de e-mails de muita gente. São textos que perpassam por menosprezar um candidato que não tem o dom da oratória à uma suposta ligação do outro com forças ocultas para chegar aonde deseja. É óbvio que apesar de não acreditar em forças ocultas, não é difícil digerir que realmente este segundo candidato seja capaz de qualquer coisa para chegar onde quer chegar. Basta ver as suas alianças em 2004, com o PMDB, partido contra o qual sempre se indispôs, e agora, em 2010, com o PSDB/DEM, lengendas que fazem frente ao grupo que ele mesmo criou e manteve até o inicio deste ano e ao Projeto de Governo em nível nacional começado por Lula. Mas, retornemos aos textos dos e-mails.

Uma coisa me deixa sempre com a pulga atrás da orelha, e, lógico, alguém vai me questionar. Mas, desde já, quero deixar claro que isso que vou escrever mais adiante trata-se apenas de uma ligeira impressão que tive. Não necessariamente é a verdade absoluta. Pois bem , desses textos que falam sobre Ricardo e o satanismo. Percebam: das mais de 50 (cinqüenta) mensagens que recebi falando sobre isso, pelo menos 48 (quarenta e oito) eram de pessoas ligadas a Ricardo. Ou seja, eles deram muito mais atenção a essa estória do que a própria sociedade paraibana. Aliás, chegou primeiro para mim enviado por um amigo ricardista ao extremo. Então, faço o seguinte questionamento: Não teria sido um girassol que iniciara essas coisas com o intuito de fazer o Mago se passar por vítima novamente? Na dúvida, mando-lhes um recado: cuidado para o tiro não sair pela culatra.

Um comentário:

David Soares disse...

Eu estava no MSN e veio falar comigo alguém que há algum tempo eu não falava. Perguntou como eu estava,se estava tudo bem. Pronto. Depois de cumprido este protocolo foi direto ao ponto: você vai votar em Ricardo?

Eu disse que não. Claro que não!

Rapaz, foram longos minutos de: "Como alguém inteligente como você não vota em Ricardo?", "não vê que a única chance da Paraíba é Ricardo?" "Você precisa pensar mais um pouco para votar consciente".

Bem, o ricardismo é mesmo um fenômeno local. Os ricardistas não são socialistas, de esquerda, democráticos. Os ricardistas são ricardistas, é uma fé que é sintoma de vários outros problemas na nossa vida política.

Bem, de qualquer modo, esses girassois têm raízes bem rasas.