8 de mai de 2011

Chuvas e desmatamento

Depois de exatos 31 dias sem postar nada, e ao de me deparar com mais enxurradas pelo Brasil, e em especial na cidade de Santa Rita, na microrregião de João Pessoa, resolvo fazer um breve comentário sobre chuvas em excesso e desmatamento.
Santa Rita localiza-se há mais ou menos 13km da capital paraibana, e é conhecida, entre outros produtos, pelos canaviais, tipo de cultivo que necessita de grandes extensões de terra. Obviamente que, para o plantio de cana-de-açúcar, algo tem que ser eliminado para dar lugar à essa cultura, e, claro, a floresta, ou a mata (atlântica), foi a vítima. Só para conhecimento, na região de tabuleiros da Paraíba, predomina(va) a floresta de mata atlântica e o cerrado, em menor escala.
E o que a mata e as arvores desta mata têm a ver com excesso de chuvas? O Dr. Wolf Dietrich Heckendorff, professor do Departamento de Geociências da Universidade Federal da Paraíba explicou, em uma de suas aulas, que um dos motivos para grandes precipitações em pouco espaço de tempo é justamente o desmatamento. Segundo ele, através do processo da fotossíntese as árvores acumulam água, liberando-a aos poucos, durante a noite, com o que conhecemos como orvalho, evitando assim elevado grau de evaporação e conseqüente nebulosidade. Sem árvores, a evaporação é quase que instantânea, criando nuvens carregadas que se precipitam, caem em forma de chuvas.
A região de João Pessoa tem precipitação média para o mês de maio de 282mm. Com uma alteração muito pequena nesses números devido à altitude de Santa Rita em relação a João Pessoa, o registrado para os 10 (dez) primeiros dias foi de 131mm (vide site da AESA), ou seja, quase metade do previsto para todo o mês.
Heckendorff salientou, ainda nas suas aulas, que as medições pluviométricas não tem variações de ano a ano. Dessa forma, o previsto para o ano de 2010 terá índices parecidos com os previstos para este ano (2011), para os anos anteriores e posteriores. O que muda é a precipitação para determinado período.
Cidades como São João do Rio do Peixe e as demais por onde passa o Rio Piranhas, ou Santa Rita, no nosso caso, com o Rio Paraíba, são suscetíveis a cheias devido esse processo de precipitação, uma vez que, caindo em excesso, as águas procuram os rios, e estes por sua vez, não comportam tamanha quantidade de água em pouco tempo, transbordando e inundando as áreas das encostas.
Um alerta que aproveito para fazer diz respeito às construções exacerbadas no entorno das cidades grandes, com desmatamento descontrolado e que, em poucos anos fará de cidades que sofrem pouco ou não sofrem ainda com as enchentes, fortes candidatas a inundações, desastres e mortes.

Comente agora este texto! Clique aqui!

2 comentários:

Fabiana Brito disse...

Adorooo seu "pequenos comentários". Quem diria que teríamos aqui tdoo esse alagamento...Mas a muitooo tempo atrás essa situação já ocorreu em Santa Rita.
bj

Paloma disse...

Pois, e isso vai acontecer com os diversos lugares que preferem dar lugar a outras culturas (...monoculturas) ou coisas(construções) tirando a mata nativa ... lembrando que além das inundações temos toda a biodiversidade nela contida (seres vivos, que assim como o homem preferem viver ou sobreviver), assim, o homem aproveita e além de ir detonando sua espécie, vai detonando outras espécies também. Com isso me vem uma pergunta... Quando o bicho homem vai deixar de ser imbecil?! (difícil responder)